Core-PB

Atendimento online
Clique aqui e tenha acesso aos principais serviços pelo Setor de Atendimento do Core-PB.
  • portal-da-transparencia
    Transparência e prestação de contas
  • denuncie
    Denuncie o exercício ilegal da profissão
  • info
    Transparência e prestação de contas
  • denuncie
    Denuncie o exercício ilegal da profissão

Onda de calor em novembro eleva vendas em até 18,9% nos supermercados do Brasil

Onda de calor em novembro eleva vendas em até 18,9% nos supermercados do Brasil

Itens da chamada ‘cesta de verão’ aumentaram 17,4 % na Grande São Paulo em comparação com 2022

A onda de calor que atingiu o Brasil elevou a venda de produtos da ‘cesta de verão’ em até 18,9% na comparação com o mesmo período de 2022 em todo Brasil. Itens como gelo, cerveja, bronzeador, sorvete, isotônico, desodorante, suco pronto, gelatina, açaí, água de coco entre outros foram os itens mais consumidos.

Em São Paulo, no final de semana, 11 e 12 de novembro, o faturamento do setor registrou aumento de 19,15%. Outro dado interessante da pesquisa realizada pela Scanntech, é que no interior do Estado de São Paulo, a procura por esses itens foi maior que na capital paulista, 19,7% contra 17,4%, respectivamente.

Analisando o comportamento do interior de São Paulo contra a região metropolitana encontramos que bebidas alcoólicas são mais presentes na cesta de calor do que na capital, 44,3% contra 38,7%. Na Grande São Paulo, as guloseimas refrescantes tiveram alta de 11%, contra 7,7% no interior e as bebidas não alcoólicas 39,7% na Região Metropolitana e 36,6% no interior.

Para Priscila Ariani, diretora de marketing da Scanntech, o impacto pode ser notado dentro de categorias em que o consumidor busca. “Os produtos na ‘cesta de verão’ devem continuar subindo até abril de 2023. Estudamos o consumo e o fato é que ele é reativo. Sempre que há grandes variações de temperatura, tanto para cima como para baixo, as vendas de diferentes produtos podem ser vistas no ‘boca do caixa’. O consumidor também é movido pela sazonalidade de produtos, e a temperatura e datas comemorativas, como fim de ano e festa junina, impactam o varejo.”

Fonte: Super Varejo